sábado, junho 14, 2008

Antologia do Cadáver Esquisito - Parte I: Cadáver esquisito balnear

O Fanã existe e é treinador.
O esférico que gira sobre o relvado não é a Terra.
Ando à volta e fico branco.
Um comboio com bandeiras é uma alarvidade.
Fico, e corro, e deixo a hora a ver.
Pelo que temos que coser os olhos com língua de manteiga.
Derreto o tempo em estradas azuis.
As baleias nidificam na garganta dos jurdomonteses gigantes.
Não fiquei. Não gosto de me sentir debaixo.
Por cima do ovo estrelado do Kalimero estrabizante.
Cloro e cloreto. Os dois e eu.
O mundo de cada um é uma abstracção azul.
Azul, ou outro espaço qualquer
Um se faz de morto quando o anzol é uma cabeleira loira.


DJ Couve
O Outro Gajo dos Wham

3 comentários:

franksy! [girlfriend in a , ] disse...

vocês foram ao shmoo?!

DJ Couve a.k.a. Abono Vox de Família disse...

O shmoo é como Isabelle. É o rock.

franksy! [girlfriend in a , ] disse...

a francisca também é o rock!!

[e a Sardinha!!!]